Como já referimos em posts anteriores, o turismo é uma das áreas que mais tem crescido em Portugal. Daqui resultaram várias mudanças. Não só na forma como as empresas se posicionam, mas também na forma como os próprios clientes planeiam as suas viagens. As agências de viagens passaram para segundo plano na hora de marcar viagens. O utilizador prefere organizar as suas próprias viagens e grande parte das decisões são feitas com recurso a websites, redes sociais e, principalmente, plataformas de opinião como o TripAdvisor.

Entendendo a relevância que plataformas como o TripAdvisor têm na tomada de decisão dos clientes, decidimos falar um pouco mais sobre esta plataforma. Com funciona, como usar e sobretudo, como tirar partido e melhorar a sua classificação.

tripadvisor around the world

O que é o TripAdvisor?

Falamos sobre o maior site de viagens do mundo. O TripAdvisor é uma plataforma de avaliação de estabelecimentos baseada em opiniões do público. Foi criada com o propósito de ajudar o utilizador a encontrar os melhores hotéis, restaurantes e outros estabelecimentos, tudo através de um website ou da app.

A importância do TripAdvisor para empresas

Nos dias que correm, uma das prioridades de qualquer negócio é gerir as avaliações dos seus clientes e manter uma boa reputação online. Como já referimos anteriormente, as pessoas começam a preferir organizar as viagens de forma completamente autónoma, o que as leva em busca dos melhores estabelecimentos, quase sempre, validados por outros clientes.

Tendo isto em conta, a importância da plataforma prende-se na sua relevância. Um estudo realizado pela Statista, apurou que 52% das pessoas que viajaram em 2016, entre os 18 e os 34 anos, usaram o TripAdvisor como ferramenta de pesquisa na hora de organizar as suas viagens. Assim sendo, podemos partir do pressuposto que estamos a perder muitas oportunidades de negócio se não trabalharmos o nosso perfil e mais ainda se este for inexistente.

Como funciona?

Quanto maior for a sua popularidade na plataforma, maior será a probabilidade de aparecer nos primeiros lugares da pesquisa efetuada para estabelecimentos na sua localização. Assim sendo, a sua popularidade pode ser afetada tendo em conta os seguintes factores:

  • Pontuação: Esta refere-se ao número de avaliações que tem no TripAdvisor e quanto mais avaliações de 4 e 5 estrelas tiver, melhor. Quando todos os outros factores forem iguais, o local com mais avaliações de 5 estrelas ocupará a posição mais alta no ranking.
  • Atividade: Apesar de as avaliações mais antigas, continuarem a contar para a sua classificação, as mais recentes refletem sempre melhor a qualidade do seu espaço. Quando todos os outros factores são iguais, o local com avaliações mais recentes ocupa a posição mais alta do ranking.
  • Relevância: Os estabelecimentos são classificados através de vários critérios, que dependem muito daquilo que o seu espaço oferece. Logo, se o seu negócio for um restaurante italiano, situado em Lisboa, deverá posicionar-se para para estar classificado como restaurante italiano em Lisboa. Assim, quando alguém procurar por restaurantes italianos na sua área de atuação, a probabilidade de aparecer no resultado de pesquisa dessa pessoa aumenta.

Como se destacar com TripAdvisor

A melhor maneira de tirar partido da plataforma é prestar atenção a tudo o que o seus clientes disserem sobre si. Todas as sugestões e criticas devem ser tidas em consideração e deve responder a todas. Desta maneira, aos olhos do cliente, mostra que se preocupa, que está atento e pode fazer uma boa gestão de expectativas. Deverá tomar especial atenção às criticas negativas. Encará-las como uma oportunidade de melhorar o seu serviços ou tentar perceber a legitimidade da avaliação (mais à frente falaremos sobre como gerir estas situações).

Tem ainda opções premium para empresas, onde poderá ter acesso a ferramentas que lhe permitirão analisar e comparar dados da sua concorrência e ainda ter alguns benefícios na divulgação do seu negócio dentro da plataforma.

Mas usar o TripAdvisor pode afetar a sua performance, não de formas tão diretas como as identificadas até aqui. A plataforma é uma ótima fonte de pesquisa para quem procura estabelecimentos na sua área e pode tirar grandes vantagens daqui, como:

  1. Graças à relevância do Tripadvisor, é possível que o seu negócio, apareça bem classificado nos resultados de pesquisa da Google, mesmo que o seu site e/ou blog não estejam assim tão bem classificados;
  2. Como qualquer pessoa pode ter acesso à plataforma, este funciona quase como um “word of mouth” digital;
  3. Em pesquisas que se baseiem fortemente na localização geográfica, empresas cadastradas no TripAdvisor podem ganhar vantagens sobre outras que não estejam.

Se pretende aprender como se posicionar no TripAdvisor e noutras plataformas digitais para melhorar a sua performance, consulte os nossos serviços de multimedia e consultoria.

Portugal tem ganho grande destaque na imprensa internacional, como um dos destinos turísticos mais populares da atualidade. Isto tem-se traduzido num aumento significativo dos postos de trabalho e no peso do sector na economia portuguesa. Por sua vez, esta evolução foi acompanhada por uma modernização do sector com uma aposta cada vez maior no marketing digital.

marketing digital para turismo

Esta aposta, deve-se em muito à mudança do paradigma atual no que toca ao planeamento de viagens. Ao contrário do que acontecia até há bem pouco tempo atrás, as pessoas passaram a planear elas próprias as suas viagens através da internet e deixaram de recorrer às agências de viagens para o fazer.

Assim sendo, os profissionais de marketing da área do turismo sentem cada vez mais, a necessidade de reforçar os seus conhecimentos em marketing digital. Isto, para que possam acrescentar valor aos seus clientes num mercado cada vez mais competitivo onde só para aparecer já não chega.

Uma pesquisa da Smart Insights, uma plataforma especializada em Marketing Digital, revela que pelo menos 60% das pessoas que viaja, trata de algo relacionado com a sua viagem, online. Por outro lado, sabemos também que 148.3 milhões de reservas para estadia, voos e outras actividades são feitas através da internet. Isto representa 57% de todas as reservas a nível mundial.

Com tanta procura, é natural que a oferta acompanhe a tendência. Logo saber diferenciar-se pode representar um papel fulcral para que tenha bons resultados. Assim sendo, se está a pensar abrir um negócio na área do turismo ou se está a pensar renovar a sua presença online, poderá seguir as seguintes dicas:

1. Definir uma “persona”

O que é uma “persona”?

A persona é uma ferramenta de segmentação. Ajuda-o a traçar um perfil de utilizador mais especifico e vai para além da definição de um público-alvo. Enquanto o último baseia-se muito em dados demográficos, a persona é um personagem fictício ao qual atribuímos características mais humanas, como: objetivos, desejos e limitações.

Qual a sua importância?

Antes de estabelecer uma estratégia de comunicação, é essencial estabelecer uma ou mais personas a quem queremos vender o nosso serviço/produto. Só assim, podemos garantir que todo o nosso conteúdo é otimizado, de forma a atingir com maior eficácia e eficiência o seu propósito e ainda, envolver muito mais os nossos clientes com a nossa marca.

2. Use as redes sociais

As redes sociais são, sem qualquer sombra de dúvidas e cada vez mais, uma ferramenta de exposição para o seu trabalho. Especialmente para quem tem um serviço/produto direccionado para o consumidor final. Assim sendo, divulgue conteúdo que ajude a promover o seu destino ou empreendimento turístico e interaja com a sua comunidade. Para além das mais utilizadas e óbvias, como Facebook e Instagram, não se esqueça de fazer uso de de plataformas específicas de turismo ou com base na sua localização como o TripAdvisor, Booking.com, Trivago, Momondo, etc.

3. Invista no seu website

O website deve estar no epicentro dentro de tudo aquilo que fazemos no marketing digital! Portanto, mantê-lo atualizado é extremamente importante, pelas mais diversas razões. A mais importante, prende-se pela posição que ocupa nos motores de busca, especialmente na Google.

No marketing digital existe algo a que chamamos de SEO (Search Engine Optimization). Este conceito prende-se muito, como o próprio nome indica, na optimização do nosso site para os motores de busca. Basicamente, quanto melhores forem as nossas práticas de SEO, melhor será o nosso ranking para a Google e consequentemente a nossa posição nos resultados de pesquisa também será melhor. Alguns dos factores a ter em consideração, são por exemplo: o tempo de resposta do website, a optimização para mobile, a relevância dos seus conteúdos para os termos de pesquisa a que está associado, entre outros…

4. Seja verdadeiro

Não há maior desilusão do que ver as nossas expectativas defraudadas. Partindo desta premissa, devemos garantir que tudo aquilo que comunicamos deve refletir-se na qualidade do nosso serviço. Nem mais, nem menos. Evite criar conteúdo que não corresponda à realidade, de forma a atrair mais clientes. Em vez disso invista em conteúdo original, impactante e que se envolva na experiência do cliente.

5. Invista em conteúdos próprios e originais

De forma a ter uma estratégia mais eficaz, um dos maiores proveitos que podemos tirar do marketing digital é a própria automação do marketing. Forneça conteúdo segmentado e focado nos interesses dos seus clientes. Algo que transpire a entidade do seu negócio, mas que ao mesmo tempo impacte e envolva quem está do outro lado e transcenda o produto/serviço associado.

É aqui que entra o Inbound Marketing e algumas técnicas associadas como o storytelling. Algo que lhe permite, passar uma mensagem que apele aos sentidos do receptor e que ao mesmo tempo promova a marca mas de forma indirecta.

Se gostava de saber como ter conteúdo de qualidade, poderá visitar a nossa página para que o possamos ajudar a melhorar a sua presença online.

Storytelling no marketing digital

É cada vez mais claro, que só fornecer conteúdo não chega para gerar valor e consequentemente melhorar a relação com o seu cliente. Precisamos que o conteúdo seja relevante, impactante e acima de tudo envolvente. É aqui que entra o Storytelling.

Hoje em dia somos bombardeados com conteúdo a toda a hora. Por isso, o risco da nossa mensagem se difundir num mar de irrelevância é muito mais alto. Por vezes, até temos ideias brilhantes, mas se não soubermos como as transmitir, corremos o risco de sermos sempre apenas mais um. É aqui que entra o Storytelling e todas as técnicas associadas para garantir que o seu conteúdo se diferencie de todo o resto.

Mas afinal, o que é isto do Storytelling?

O Storytelling, como o próprio nome indica, é o acto de contar histórias. Contudo, no que toca ao Marketing e aos conteúdos multimédia, este conceito ganha outra dimensão e transcende-se para além de uma simples história.

Contar uma história implica ter uma mensagem estruturada numa narrativa com princípio, meio e fim, utilizando um personagem central, envolvida num determinado ambiente.

“Mas porquê raio, preciso eu de contar uma história para vender os meus produtos?”

Olhando para o panorama da comunicação e publicidade dos dias de hoje, e como já foi referido anteriormente, a quantidade de conteúdo disponibilizado online é simplesmente esmagadora. Assim sendo, é preponderante termos algo que nos diferencie quando chega a altura de comunicar com os nossos clientes.

Felizmente, o cérebro humano tem muito mais facilidade em reter histórias do que dados. Contar histórias, ativa certas partes do cérebro associadas aos nossos processos cognitivos que podem influenciar a pessoa na sua tomada de decisão

Qual a importância do Storytelling?

Por muito que actuemos numa área saturada de conteúdo, onde a diferenciação torna-se num conceito quase inalcançável, contar histórias permite-nos dar uma abordagem única à mensagem que queremos passar.

Contudo, as vantagens vão muito para além disto:

1. Cria uma relação de empatia entre si e seu cliente

Uma das componentes mais interessantes do estudo do comportamento do consumidor, parte da premissa que o ser humano é um ser social, logo, está na sua natureza desejar fazer parte de algo, seja isso um grupo, uma tribo, etc.

Como referido anteriormente, as histórias influenciam os nossos processos cognitivos. É muito mais fácil captarmos a atenção de alguém e criarmos uma relação com essa pessoa, quando a mensagem é passada por meio de uma história envolvente e emocionante. Isto gera empatia e facilita o processo de conquista e fidelização de clientes. Mas mais que isso, permite que o cliente se identifique muito mais facilmente com a marca e se sinta parte integrante dela, fortalecendo a conexão entre ambos. Isto é extremamente importante uma vez que sabemos que o cliente está cada vez menos disposto a contribuir para o sucesso de algo com o qual não se identifique.

2. Fazer marketing sem fazer marketing

Parece um pouco contraditório, certo? Mas se olharmos em retrospectiva, à partida todos concordamos que já ninguém tem muita paciência para estar a ser bombardeado com anúncios em que percebemos claramente que o único objetivo é vender. Ora, o storytelling permite-nos contar histórias e promover a marca/serviço/produto de forma muito mais súbtil, através de uma mensagem que vai muito para além de nós e daquilo que queremos vender.

3. Gerar mais interação e aumentar a notoriedade

Já ficou estabelecido, que as histórias têm a capacidade de gerar um sentimento muito maior de empatia entre uma marca e o seu cliente. Quanto mais forte for esse sentimento, maior é interação, seja através de Likes, comentários ou partilhas. O que por sua vez, contribui para aquilo que em marketing chamamos de “brand awereness”.

O poder de uma história na influência da decisão

Maior parte das pessoas acredita que as nossas escolhas dependem de uma análise racional, quando na verdade agimos motivados pela emoção, especialmente no que diz respeito a hábitos de consumo.

Uma pesquisa realizada pela The Advertising Research Foundation mostrou que:

  • A conexão emocional tem muito mais influência na decisão de compra do que o conteúdo do anúncio só por si. Sendo até três vezes maior no caso dos anúncios televisivos e duas vezes maior no caso de anúncios impressos e online;
  • A percepção positiva de uma marca é o fator que mais influencia na conquista e na fidelização;

O Storytelling não é só texto!

O termo “show, don’t tell” aplica-se na perfeição ao bom storytelling. A capacidade de levar o cliente a perceber a nossa mensagem e a interpretá-la através de um vídeo ou imagem sem que a mesma tenha um texto associado, poderá ser considerada uma boa prática de storytelling. Embora seja possível contar uma boa história através de um texto, o conteúdo apresentado deve ser transversal a todos os canais, incluindo redes sociais, video e imagem e sempre que necessário (ou não), texto.

O vídeo por exemplo, pode ser uma ferramenta bastante impactante e tende a criar uma relação mais forte entre a marca e os seus consumidores.

Abaixo apresentamos um exemplo de um vídeo que criámos para um dos nossos clientes: “Quinta da Lagoalva”.

O produto em si (vinhos espumantes e brancos da Lagoalva) são um produto fresco e de grande consumo nas alturas mais quentes do ano. Neste sentido, incorporámos os produtos numa experiência de verão com uma personagem que está a usufruir de um dia de praia na companhia dos vinhos da Lagoalva. Este vídeo conecta a marca com o desejo de desfrutar de umas boas férias de verão, na praia e junto ao mar, estabelecendo essa ligação de uma forma tremendamente visual e impactante.

Gostava de contar a sua história?

No Storytelling não existem dogmas e podemos reinventá-lo a cada conteúdo e todos os dias aprendemos algo. Até porque, cada marca tem a sua identidade e cada história poderá ter formas distintas de ser contada.

Gostava de contar a sua história, mas não tem os meios ou não sabe por onde começar? Saiba mais sobre os nossos serviços de storytelling, multimédia e consultoria, no nosso site. Podemos ajudar na conquista e fortalecimento da relação entre si e os seus clientes, através de conteúdo relevante e, acima de tudo, impactante e envolvente.